quarta-feira, 23 de julho de 2014

17 de Julho - R.I.P Pai

Se o reverso, inverso do riso está aqui a me visitar, faço versos, corro contra o vento para me sentir um pouco vivo e não em lágrimas, me acabar.
Mas é difícil, quase um ofício a não se cumprir e notar. Que os dias, desde que você partiu, pararam um pouco mais de brilhar.
Tua voz não saiu, ressoava embolada, me soava ingrato, te ouvir ao não falar. Balbuciar imcompreendido, e eu na esperança que sentisse no breve momento, meu bem querer, meu amar. No toque leve  de meus dedos em seus ralos cabelos brancos e olhando seus olhos, bem lá dentro, acreditei que em algum momento aquilo iria passar.
E sorririamos juntos, falaríamos coisas bestas, engraçadas, te deixaria bravo só pra implicar.
Não deu tempo. Partistes e acredito, se livrou do sofrimento. Egoísta que sou, ainda lamento, por não poder mais te ver ou te abraçar além das lembranças, que eu sei, passe o tempo que for, sempre estarão em mim, e em qualquer lugar que eu possa estar.

E na última vez que te vi, eu não sabia que era um adeus. Hoje eu sigo a vida, um pouco mais triste e com o sentimento de que o tempo é abstrato, a vida é incerta aqui na terra, e nossos planos devem sair do papel, assim como nossos sentimentos devem ser externados, antes que seja tarde... antes que a vida acabe, sem ao menos se notar.
E o abraço que não foi dado, as palavras que não puderam ser ditas, vivem pra sempre no universo dos desejos não realizados.
E de alguma forma tentamos crer que você de onde está, possa senti-las, possa ouvi-las.
Que o meu amor, se não ficou um dia claro, brilhe como um raio de luz onde você se encontra agora. Que um dia eu acorde e sinta você me carregando, segurando na minha mão, igual aquele retrato tirado na praia que eu tanto gostava de olhar quando criança.
E que a vida floresça novamente aqui dentro de mim e a luz maior te acompanhe onde quer que você esteja, pai.
Saudade é uma coisa difícil de lidar. Desculpa se no momento, eu só consigo chorar.

Um comentário:

  1. Eu me lembro de nós dois no sesc pompéia, vc me contando sobre como seus pais se conheceram e a história de vida de ambos.
    Eu me lembro do seu olhar ao falar.
    Me lembro da história, me lembro do seu amor por ele, por sua família.
    Obrigada por ser um homem tão corajoso a ponto de dividir publicamente seus sentimentos dessa forma, pois pra mim, o que vc tem a dizer é de grande importância, de extrema relevância, me sinto honrada de poder ler isso e sentir contigo esse pesar; Poder emanar luz de meus mais profundos sentimentos nessa fase de perda e saudade que vc está vivendo. Também passei por algumas.
    Sei quão grandiosa é a reflexão que surge de um momento como esse.
    Um divisor de águas, um despertar para a verdadeira vida.
    Mais ou menos dois meses depois que deixamos de nos falar, eu perdi alguém muito importante também. Naquela hora, no desespero absoluto, no egoísmo puramente humano, eu julguei a mim mesma como se estivesse sendo castigada por ser tão imperfeita e agir de maneira estúpida. Ainda estou em processo de recuperação disso, sabe. Precisei de muita, muita ajuda, e só a encontrei em mim mesma, nas minhas próprias reflexões, enxergando a mim mesma, redescobrindo meus próprios valores, compreendendo a minha história, meus traumas, meus motivos, o caminho que trilhei, porque o trilhei, pra onde desejo ir...
    Enfim, quero dizer que sei qual é a sensação desse momento que vc está vivendo.
    Hoje, algo que eu posso contar sobre mim mesma é que sou alguém que valoriza a vida acima de tudo, acima de qualquer coisa. Percebi a urgência de direcionar minha vida pra onde eu realmente quero ir, não gasto meu tempo em vão, dou valor a coisas simples, sutís, dou valor a sutilezas minhas, inclusive. Entendo a vida hoje como troca, como ser meu melhor enquanto estou aqui, fazer por onde viver o que meu coração sente. Mas pra tudo isso foi preciso reaprender a me abrir a esses entendimentos, e creio que ao seu modo e ao seu tempo, vc reaprenderá também.
    A única coisa constante na vida é a mudança, a inconstância. E dela aprendemos a tirar o melhor amadurecimento, as melhores experiências.
    Quero poder estar ao seu lado, te ouvindo, falando, trocando... sempre que for da nossa vontade. Conte comigo.
    Um beijo, com carinho.

    ResponderExcluir

quer um café?